Entre em contato

Nome (obrigatório)

Email (obrigatório)

Assunto

Mensagem

Galerias / Galleries

Voltar

Fechar

A Vanguarda Viperina

1985
  • Fotografia
  • 1720 x 1010 mm

Obras geradas a partir de toda ou qualquer relação entre três elementos similares. Três eixos, três mechas, três meninas, três velas ou três bolas de sabão. Em todos os trabalhos o três é ao mesmo tempo três e um. As três chamas que viram uma de Sero te Amavi, a Trança e os questionamentos de Santo Agostinho, se comparam a força do torque no encontro das três colunas de ferro dos tripés da Trindade Tríade.

 

Algumas serpentes, depois de terem sido sedadas, são trançadas. A performance consiste em acompanhar o destrançar das serpentes a medida que o sedativo perde o efeito. O sedativo utilizado foi o éter. Coincidentemente o éter que se relaciona ao aether do mesmo vazio que associamos ao espaço que a escultura clássica irá ocupar. A serpente inala o vazio, adormece e acorda trançada.

/
A Vanguarda Viperina
  • Fotografia
  • 1720 x 1010 mm
Lúcia Helena Zaremba, 1985
Instituto Vital Brasil - Rio de Janeiro - Brasil
A Vanguarda Viperina
  • Fotografia
  • 1720 x 1010 mm
Crédito da imagem indiponível no momento